terça-feira, 30 de novembro de 2010

É que eu gosto do riso de tudo. De flores. De gente. De bichos. Dos dias de céu azul lisinho. Das noites carregadas de cachos de estrelas. Da canção que as ondas cantam quando tocam a areia. Às vezes, eu vejo até o riso contido do que não tem coragem de rir.





Ana Jácomo

Meu coração eu pus no bolso, mas apareceu um moço que tirou ele dali. Não! Isso não é engraçado, um coração, assim roubado bate muito acelerado.


Devolve, moço o meu coração no bolso.

Então eu virei pra ela e falei assim: ah, nada, boba, também é assim, se der, bem, se não der, amém,


toca pra frente.
Adélia Prado

Esperança

— Bom, feliz talvez ainda não. Mas tenho assim... aquela coisa... como era mesmo o nome? Aquela coisa antiga, que fazia a gente esperar que tudo desse certo, sabe qual?
— Esperança? Não me diga que você está com esperança!
— Estou, estou.


C.F.A

Me entrego, me arrisco, me corto, me estrepo, azar meu, sorte minha que nasci assim: vim ao mundo pra sentir!
 
 
Fernanda Mello

Eternamente sua.

É que eu ainda sinto tudo aquilo que um dia disse que haveria deixado de sentir por você, nunca sequer você saiu dos meus pensamentos, muito menos então do meu coração. Mas se continuar a me perguntar, ainda continuarei a dizer que não te amo, mesmo que isso doa, muito menos para você, do que para mim.

Marcela Polis

segunda-feira, 29 de novembro de 2010



 "Se tens um coração de ferro, bom proveito.
O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia."

Estou cuidando bem de mim.

"Tô relendo minha lida, minha alma, meus amores
Tô revendo minha vida, minha luta, meus valores
Refazendo minhas forças, minha fonte, meus favores
Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores
Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho
Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu anjinho
Tô bebendo minhas culpas, meu veneno, meu vinho
Escrevendo minhas cartas, meu começo, meu caminho
Estou podando meu jardim
Estou cuidando bem de mim"

(Vander Lee)

Que seja feliz, que sejamos felizes.

- Quem nunca deixou de mandar aquele texto que faria toda a diferença, aquele mesmo que exprime tudo o que você quer falar?? Pois então, aqui está o meu:

"Nunca entendi porque nossa relação sempre pareceu ser bem mais do que foi, um dia parecia um mês, eu tinha a sensação que te conhecia a séculos. Sempre fomos algo desconhecido, sem nome.Você assistiu tudo, viu nosso caso (ou qualquer coisa assim) acabar, me viu disfarçar meus sentimentos e em forma de raiva, saia toda aquela paixão, todo o desespero, toda a insegurança e até um pouco de arrependimento. Há dias me controlo para não vir aqui e dizer qualquer coisa sobre isso, qualquer coisa. Mas não sei, não sei o que me fez falar tudo isso, porque o medo de ficar mais magoada com uma dessas respostas suas, é grande. Você é a representação perfeita do peão “bruto, xucro, rústico e sistemático” que por mais que eu goste, de fato me machucou muito. Nunca soube formular direito meus sentimentos, agora sei, de uma maneira dolorosa.Eu sinto sua falta e não carrego mais nenhuma forma de esperança com respeito ao casal daquele sábado de outubro.
No nosso último encontro, naquele churrasco, quando você estava deitado bem junto de mim naquela cama, eu te abracei muito forte, muito mesmo e recordo que pensei no momento em que te sentia, "o melhor abraço do mundo", parecia que meu corpo pressentia, mas minha mente não acompanhava, era um abraço de despedida, de quem tenta me mostrar o que é o certo e o lado bom da vida. Sei que você está assustadoramente feliz como está e isso me machuca muito, mas estou conseguindo me afastar dessas lembranças, só que ás vezes, não tem como, eu me deixo levar e fico lembrando de como era bom. Mas tá bom, a gente segue em frente e o mundo olha por nós. Não sei o que passa em sua cabeça, muito menos em seu coração. Só quero que você saiba que eu te desejo toda felicidade do mundo, porque você é uma boa pessoa, eu sei disso, é um bom menino e merece tudo de bom. Eu gosto de você tanto, tanto, tanto, que te deixo em paz. Deixo você se virando, se dobrando, vivendo.
Se eu falei alguma coisa ruim, foi porque na hora da raiva, simplesmente perdi o controle, falo mesmo sem pensar e não consigo levar desaforo calada, pelo jeito você também. Pelo menos em alguma coisa somos iguais.
Enfim, quero que você seja eternamente feliz!"

Que haja amor e menos covardia nas nossas escolhas... Senhor, escutai as nossas preces. Amém."

AMÉM.

Ser feliz.

Tô pagando pra ver sim, tô com a cara exposta sim, e pode doer o quanto for, podem maldizer o quanto for, o sorriso que eu levo hoje apaga todos os outros rastros. Eu aprendi, aos trancos, que ser feliz não dói. Ser feliz não dói!"

é isso aí, Tati (y)

(Tati Bernardi)

A regra é simples, como nos livros de matematica da infância:
você pertence ou não pertence.
É ciência

Eduardo Baszczyn

Amar dói como uma chaga recente.


"... amar dói tanto que você fica humilde e olha de verdade para o mundo, mas ao mesmo tempo fica gigante e sente a dor da humanidade inteira. Amar dói tanto que não dói mais, como toda dor que de tão insuportável produz anestesia própria..."

Tati B.

Te conhecer foi bom demais;

1 universo, 8 planetas, 204 países, 809 ilhas, 7 mares,
                                           6 bilhões de pessoas e eu te conheci.

"É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer, implorar. Mas amor, você sabe, amor não se pede. Amor se declara: sabe de uma coisa? Ele sabe, ele sabe."

(Tati Bernardi)

Dorme;

"Sem pensar em nada mais, fecho os olhos para esquecer. Dorme, menino, repito no escuro, o sono também salva. Ou adia."

domingo, 28 de novembro de 2010

Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde o meu próprio sol, quantas vezes seja preciso recomeçar: combinei comigo não desistir de mim.


Ana Jácomo

- Devíamos ter mais opções de escolha.
- Como assim?
- Escolher de quem gostar, por exemplo...
- Isso não dá.
- E se desse, o que você faria?
- Ainda assim escolheria você.

Cáh Morandi

queria que você soubesse
que não importa, não importa mesmo,
se amanhã ou depois for menos intenso,
for um pouco mais cansativo,
não pense hoje nas coisas de amanhã

mas se pensar,
pense em me ver como uma resposta
num grito de socorro,
pense em me ver como uma passagem
num pedido de sumiço,
pense em me ver como um abraço
num salto para o abismo,
pense em me ver na tua frente,
me aceite agora,
me leve para fazer tua história.
Cáh Morandi




A arquitetura da minha alma é barroca.
Sou fraca, sou forte, sou luz, sou sombra.
Sou de aço, sou de flores.

A vida é essa e agora;

Queridos Adolescentes,
Que merda vocês estão fazendo?  Quantos anos vocês tem…14,15, talvez 16? Vocês já pensaram em quanto tempo estão perdendo? Pare de pensar no garoto que te magoou, ele não está ligando pra você.  Pare de pensar se você parece bem com aquela roupa ou não, ninguém se importa. Pare de ficar mal humorado e depressivo por ai.  Você só é jovem uma vez e esse é o tempo para ser feliz e deixar de lado aquilo que te deixa triste de lado. Foda-se todo mundo que não te faz feliz.  Vá em frente e se divirta, esse pode ser seu último dia.

Quero apenas uma pessoa que me ame, e que saiba amar. quero que me entenda. me de carinho, amor, felicidade. que simplesmente, me faça sentir completa.

— Vai me amar amanhã?

(Porque se não for, me diga antes que eu aprenda a ler seus pensamentos, que eu saiba qual a música que você escuta antes de dormir; antes que o seu filme preferido torne-se o meu também. Me diga antes que o seu perfume cole no meu corpo, para eu não senti-lo em todos os lugares; antes que eu deite na maciez dos seus lençóis, para evitar que eu tenha insonia e perceba a ausencia ao lado. Me diga antes que eu saiba dos seus problemas, para não torna-se meus também; antes que eu saiba as ruas por onde andas, para eu não te perseguir loucamente de amor e com pedaços de coração e sonhos nas mãos)

— Amanhã, depois de amanhã. E sempre.

Erllen Nadine

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

 -Ele viu que eu ainda o amava, mais do que ele me amou. Mas não entendo até hoje porque ele não quis voltar.
- A influencia das pessoas. Assim como quando você termina um relacionamento as pessoas te puxam pra cima pra te fazer mudar um pouco de ares.. Levaram ele pra longe, longe de você.. muito longe.

Ainda insisto em lembrar de cada parte do seu rosto, mais ainda do seu sorriso que me deixava louca de vontade sua ..
Ainda te amo, ainda te espero.

M P.


 ..Antes de você, todas as coisas doíam , mas isso não importava tanto


Voltei a doer...

Agora sou uma pensão. Há vagas.
Alugo meu coração para qualquer bom sentimento.

Fica comigo, para sempre.

Ele me aperta como sempre, até que algum ossinho da minha coluna estale, e me diz, como sempre também:
- Que é que você tem que eu sempre largo tudo e venho te ver?
Eu digo, tão ironicamente:
- Fica comigo, só comigo. E sorri pensando que um dia alguém tão bacana quanto eu poderia se deitar ao seu lado pra gente ser tão especial juntos. Não me deixe mais paquerar qualquer cara bobo, mal vestido, sem assunto e sem magia só porque preciso de algum bosta me ligando pra me sentir mais mulher. Isso é coisa de gente imoral, de gente com mais medo da solidão do que o auge do meu medo da solidão. Não me deixe mais confundir amor com ego e ficar aprisionada tantos bons anos num rapaz tão comum. Comum ao ponto de eu querer ser tão comum quanto ele só porque, para mim, isso é ser diferente.

Tati B

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

' Já me peguei várias vezes tentando provar pra mim e até mesmo pra as pessoas tudo o qe eu sentia, imaginando ou tentando fazer coisas qe quanto agente para e analisa, sabe qe ta fazendo tudo errado. Palavras e atos n adiantam muito, quando n é para a pessoa certa, ou quem sabe, quando n é o tempo certo. Pedir para qe alguém acredite em mim e de fato, só receber desprezo como resposta, é de uma crueldade imensa com meus sentimentos, eu sei. Mas é aquela coisa, meu querido Caio já dizia: 'Quando se confessa a precisão, perde-se tudo'. É bem isso, mas e agora? As pessoas seguem suas vidas naturalmente, ninguém qe perde um parente querido se mata ou fica para sempre remoendo uma saudade qe é saciada com os bons momentos qe restaram. A vida continua e é bem assim qe eu deveria fazer. Quem olha de fora, de fato diz qe ando perfeitamente bem o suficiente para nem sequer lembrar de certas 'pessoas', qe ironia. Mas veja, cheguei a conclusão qe quando fazemos algo para alguem quando estamos cegos de amor, só é pior, até pq quando damos amor exagerado para alguém, as vezes cai sobre ela feito uma responsabilidade, mas cara.. eu sempre senti um imenso amor, sem pedir nada de volta, eu apenas fiz questão de apenas gostar. É ai onde entra certos conflitos.
Tô procurando entender diariamente qe por vezes, o gosto amargo é apenas a falta de costume de provar sabores diferentes, nada além.



-
"Você sabe que de alguma maneira a coisa esteve ali, bem próxima.
Que você podia tê-la tocado, que você podia tê-la apanhado.
No ar, quem nem uma fruta (...)
E sem entender, você então pára e pergunta algo assim:
Mas de quem foi o erro? (...)

simplesmente, Caio.

' 62 anos de Caio.

"Gosto de pensar que quem já morreu fica num lugar quentinho, que a gente não vê, cuidando de quem ainda não morreu. E se você quiser agradar a essa pessoa, é só fazer coisas que ela gostava. Aí ela fica ainda mais quentinha e cuida ainda melhor da gente."
Você conseguiu Caio! Esteja bem, onde quer que esteja.

Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está ai, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada “impulso vital”. Pois esse impulso às vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo como “estou contente outra vez”. Ou simplesmente “continuo”, porque já não temos mais idade para, dramaticamente, usarmos palavras grandiloqüentes como “sempre” ou “nunca”. Ninguém sabe como, mas aos poucos fomos aprendendo sobre a continuidade da vida, das pessoas e das coisas. Já não tentamos o suicídio nem cometemos gestos tresloucados. Alguns, sim - nós, não. Contidamente, continuamos. E substituímos expressões fatais como “não resistirei” por outras mais mansas, como “sei que vai passar”. Esse o nosso jeito de continuar, o mais eficiente e também o mais cômodo, porque não implica em decisões, apenas em paciência. Claro que no começo não terás sono ou dormirás demais. Fumarás muito, também, e talvez até mesmo te permitas tomar alguns desses comprimidos para disfarçar a dor. Claro que no começo, pouco depois de acordar, olhando à tua volta a paisagem de todo dia, sentirás atravessada não sabes se na garganta ou no peito ou na mente - e não importa - essa coisa que chamarás com cuidado, de “uma ausência”. E haverá momentos em que esse osso duro se transformará numa espécie de coroa de arame farpado sobre tua cabeça, em garras, ratoeira e tenazes no teu coração. Atravessarás o dia fazendo coisas como tirar a poeira de livros antigos e velhos discos, como se não houvesse nada mais importante a fazer. E caminharás devagar pela casa, molhando as plantas e abrindo janelas para que sopre esse vento que deve levar embora memórias e cansaços. Contarás nos dedos os dias que faltam para que termine o ano, não são muitos, pensarás com alívio. E morbidamente talvez enumeres todas as vezes que a loucura, a morte, a fome, a doença, a violência e o desespero roçaram teus ombros e os de teus amigos. Serão tantas que desistirás de contar. Então fingirás - aplicadamente, fingirás acreditar que no próximo ano tudo será diferente, que as coisas sempre se renovam. Embora saibas que há perdas realmente irreparáveis e que um braço amputado jamais se reconstituirá sozinho. Achando graça, pensarás com inveja na largatixa, regenerando sua própria cauda cortada. Mas no espelho cru, os teus olhos já não acham graça. Tão longe ficou o tempo, esse, e pensarás, no tempo, naquele, e sentirás uma vontade absurda de tomar atitudes como voltar para a casa de teus avós ou teus pais ou tomar um trem para um lugar desconhecido ou telefonar para um número qualquer (e contar, contar, contar) ou escrever uma carta tão desesperada que alguém se compadeça de ti e corra a te socorrer com chás e bolos, ajeitando as cobertas à tua volta e limpando o suor frio de tua testa. Já não é tempo de desespero. Refreias quase seguro as vontades impossíveis. Depois repetes, muitas vezes, como quem masca, ruminas uma frase escrita faz algum tempo. Qualquer coisa assim:
- … mastiga a ameixa frouxa. Mastiga , mastiga, mastiga: inventa o gosto insípido na boca seca.


C.F.A

Te mando retalhos de amor.

No dia 16 de fevereiro de 1928, Graciliano Ramos casa-se com seu grande amor Heloisa Medeiros sua segunda esposa, a quem lhe escreveu cartas amorosas que posteriormente se tornaria o livro: Cartas de amor à Heloisa. Em um dos trechos ele idealiza sua amada quando diz:  
“Esta carta nunca te chegará às mãos, porque não tens mãos, és uma criatura imaginária. A flor que me deste e que agora murcha, é simplesmente um defeito dos meus nervos. Beijando-a, tenho a impressão de beijar o vácuo. Já tiveste em sonho a consciência de estar sonhando? É assim que me acho. Vem para junto de mim e acorda-me”.
Um dos meus trechos preferidos das sete cartas de amor escritas a Heloisa, diz assim:
"Dizes que brevemente serás a metade de minha alma. A metade? Brevemente? Não: já agora és, não a metade, mas toda. Dou-te a minha alma inteira, deixe-me apenas uma pequena parte para que eu possa existir por algum tempo e adorar-te."

Por que nos conhecemos? Por que o acaso o quis? Foi porque através da distância, sem dúvida, como dois rios que correm a unir-se,  nossas inclinações particulares nos impeliram um para o outro.

Gustave Flaubert

Fim de tarde . Dia banal, terça, quarta-feira . Eu estava me sentindo muito triste  Você pode dizer que isso tem sido freqüente demais, ou até um pouco (ou muito) chato . Mas, que se há de fazer, se eu estava mesmo muito triste ? Tristeza-garoa, fininha, cortante, persistente, com alguns relâmpagos de catástrofe futura .
 
C.F.A

Amém

                                         Livrai-me de tudo que me trava o riso. Amém!

Dores

Estou cansada de viver como se já fosse uma pessoa adulta e madura. Gostaria de voltar a ser criança – uma garotinha de seis anos que caiu da bicicleta. Gostaria de fazer cara de choro e correr aos berros para a cozinha, onde minha mãe me ergueria do chão, me daria um forte abraço e beijaria meu joelho esfolado. Eu pararia de chorar e tomaria leite com chocolate para a dor passar. Essa é uma das coisas que as pessoas não nos ensinam quando falam de crescer: como lidar com as dores que não passam com um beijo.
 
Soul Love

A: Você realmente precisa disso?
B: Disso, o que?
A: Ele não é exatamente o cara mais doce, do planeta.
B: Eu sei.
A: Então, porque insistir, mesmo com tanto drama?
B: Talvez seja medo.
A: Do que?
B: De passar, o resto da vida, me culpando por não ter vivido, nem que seja um pouco todo esse amor.
A: Como sabe que é amor?
B: Não sei.
A: Você me confunde, sabia?
B: Não é a minha intenção.
A: Imagino que não seja. Mas porque, largar carinho, por incerteza?
B: Há pessoas que costumam, ser especiais, que aparecem na nossa vida com um propósito, de te ensinar alguma coisa, para você ensinar alguma coisa. Acho que esse é o meu caso.
A: O que ele te ensina?
B: É uma via de mão dupla, eu aprendo com ele, que alguns caras não se importam com você, muito menos com seus sonhos. Ele aprende comigo, que nem tudo é tão fácil.
A: Você está feliz?
B: Às vezes, quando ele me empresta um pouquinho da atenção dele, e não me cobra nada, eu me sinto leve.
A: Está feliz, ou não?
B: Nunca precisei de alguém, para ser feliz.



Jessica Carvalho

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tudo bem, descansa. Faz parte não conseguir.

Foi muito lindo tipo ver pela primeira vez e pensar, sem palavras: 'eu quero'.

Então direi da boca luminosa de ilusão: te amo tanto.
Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado.

Sem saber de você, faz tempo. Eu tô aqui segurando esta barra.

... eu ficava sozinho no nosso quarto, e quis te dizer de como era bom que a gente tivesse se encontrado, assim, sem pedir, sem esperar ... 

Me entrego, me arrisco, me corto, me estrepo, azar meu. Sorte minha que nasci assim...

E que uma palavra ou um gesto, seu ou meu, seria suficiente para modificar nossos roteiros.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Vai menina, fecha os olhos. Solta os cabelos. Joga a vida. Como quem não tem o que perder. Como quem não aposta. Como quem brinca somente.

Senti a frieza na sua voz, senti sua pele pelo toque das minhas mãos, queria ficar pra sempre morando no seu abraço, seu cheiro me dava paz, seu peito me confortava e me dava segurança, seu hálito doce enquanto falava, não existia nada melhor naquele mundo que me me despertava mais interesse a não ser você. Pedi pra ficar pra sempre ali, perto de você, dentro do seu coração, mas você disse não. Meu coração ainda chora, meu coração nunca mais vai parar de chorar.

Marcela Polis

Me entreguei

Me entreguei nos seus carinhos outra vez, me entreguei no seu sorriso e no seus beijos, me entreguei na doçura do toque das suas mãos sobre meu rosto, me entreguei no som da sua voz enquanto falava no meu ouvido e me deixava com vontade de ficar pra sempre ali junto de ti, me entreguei mesmo sabendo que passaria mais um ano querendo e não querendo você, procurando e não procurando por você, te amando e te odiando ao mesmo tempo. 

Marcela Polis

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.


Volta

Mais do que querer você de volta, eu ME quero de volta, quero a felicidade nos meus olhos mirados em você . Eu quero a gente, eu quero tudo de novo, eu quero as coisas antigas, as primeiras, TODAS ! Me devolve seu sorriso ? Parece que eu não te faço mais sorrir, assim eu desespero mesmo. É uma resposta simples pra uma pergunta simples: Você vai voltar? 

C.F.A

Te esquecer

Sempre te amei, na verdade acho que me acomodei em te amar, sabe quando a gente faz de tudo, põe defeitos nas novas pessoas que estão aparecendo só para o amor que sentimos não sumir? Pois é, eu colocava defeito em todas, não queria deixar de te amar, mas ai apareceu uma pessoa que me tocou profundamente, e eu senti medo – o que sentia por ti já estava se modificando, sumindo – e percebi que só deixamos de amar uma pessoa quando somos tocados profundamente por outra. 
C.F.A

Você

- Devíamos ter mais opções de escolha.
- Como assim?
- Escolher de quem gostar, por exemplo...
- Isso não dá.
- E se desse, o que você faria?
- Ainda assim escolheria você.

C.F.A

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

“Dane-se, tomara que você quebre a cara e venha tentar qualquer tipo de aproximação sobre mim. Aí sim, eu vou ser do mau.”

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Fé na vida, hermana, fé no que virá. A gente pode perder tudo: perde o siso, perde o dente, perde tanta gente, mas a esperança é nossa e ninguém tira. Volta que eu te quero forte. Volta que eu te quero livre. Das dores, dos choros, dos trastes.

Serena Cris

E fico pensando enquanto avanço: eu amo construir a mesma estrada com você. Eu amo morar no teu abraço.

Vou contar o que ela vê nele:  ela vê uma serenidade rara e isso é mais importante do que o Porsche que ele não tem, ela vê que ele se emociona com pequenos gestos e se revolta com injustiças, ela vê uma pinta no ombro esquerdo que estranhamente ninguém repara (ou uma pintinha no cantinho do pulso que eu sinto tanta falta), ela vê que ele faz tudo para que ela fique contente, ela vê que ele erra, mas quando acerta, acerta em cheio, que ele parece um lorde numa mesa de restaurante mas é desajeitado pra se vestir, ela vê que ele não dá a mínima para comportamentos padrões, ela vê que ele é um sonhador incorrigível, ela o vê chorando, ela o vê nu, ela o vê no que ele tem de invisível para todos os outros.

Agora vou contar o que ele vê nela: ele vê, sim, que o corpo dela não é nem de longe parecido com o da Daniella Cicarelli, mas vê que ela tem uma coxa roliça e uma boca que sorri mais para um lado do que para o outro, e vê que ela, do jeito que é, preenche todas as suas carências do passado, e vê que ela precisa dele e isso o faz sentir importante, e vê que ela até hoje não aprendeu a fazer um rabo-de-cavalo decente, mas faz um cafuné que deveria ser patenteado, e vê que ela boceja só de pensar na palavra bocejo e que faz parecer que é sempre primavera, e ele vê que ela é tão insegura quanto ele e é humana como todos, vê que ela é livre e poderia estar com qualquer outra pessoa, mas é ao seu lado que está, e vê que ela se preocupa quando ele chega tarde e não se preocupa se ele não diz que a ama de 10 em 10 minutos, e por isso ele a ama mesmo que ninguém entenda.

Tem uma coisa que eu quero te contar. Depois que fui baleado, quer saber a primeira coisa que veio à minha mente antes de eu desmaiar? Moedas, eu tinha oito anos, e estou na casa de moedas do EUA, e estou ouvindo um guia explicar como as moedas são feitas, e de como elas são examinadas e uma a uma, para o caso de ter passado uma com menor imperfeição. Foi o que passou em minha cabeça. Sou uma moeda do exercito militar Americano, fui cunhado em 1980, fui cortado por uma chapa metálica, fui selado e limpo. Mas agora tenho dois pequenos buracos em mim, não estou mais em perfeitas condições. Então, tem mais uma coisa que eu quero te contar. Um pouco antes de tudo ficar preto, quer saber a ultima coisa que me passou pela cabeça? VOCÊ.”
(Dear, john)
© adorável psicose
Maira Gall