segunda-feira, 11 de junho de 2012

Ande de mãos dadas com ela, pegue-a pela cintura, corra feito bobo atrás dela no meio da rua e diga para ela fingir que estão brigando apenas para chamar atenção dos vizinhos. Chame-a de boba, chata, e mimada, só para ela te sorrir. Deixe fotos de vocês dois espalhadas por cada cantinho da casa, e deixe também o seu cheiro naquele primeiro presente que você der a ela. Dê o seu casaco quando ela sentir frio, uma rosa no primeiro encontro e depois de alguns meses volte ao lugar em que vocês se conheceram. E ame-a. Ame-a como nunca. Como ninguém. Só não deixe-a partir.
Plenitude. 

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall