sábado, 29 de setembro de 2012

"Rir é correr risco de parecer idiota. Chorar é correr o risco de parecer dramático. Ajudar os outros é correr o risco de não ser reconhecido. Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar quem você é realmente. Contar seus sonhos diante das pessoas é correr o risco de perde-las. Amar é correr o risco de se iludir. Viver é correr o risco de morrer. Depositar confiança nos outros é correr o risco de se decepcionar. Tentar é correr o risco de não conseguir. Mas os riscos estão aí para serem corridos, porque o maior perigo é não arriscar. Existem pessoas que não correm riscos, não descobrem nada, não tentam nada e não são nada. Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não amam, não vivem. Presas por suas atitudes, elas viram dependentes, privam-se de sua liberdade. Somente a pessoa que corre riscos é verdadeiramente livre."
- orgulhar 

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall