quinta-feira, 30 de maio de 2013

Tem certas coisas que falamos que magoam as pessoas. Mas nem nos damos conta, afinal, “não foi por mal”. Ou então foi, sim. É que nem sempre assumimos que somos terríveis, horríveis e desprezíveis. Eu assumo: de vez em quando sou péssima. Uma péssima consciente. Todo mundo tem um veneno guardado no canto da boca. É ou não é? — Clarissa Corrêa.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall