quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

O que eu peço é que você não desista de mim por qualquer crise de humor momentânea. Que me queira assim, imperfeita e cheia de confusões. Que saiba os momentos em que eu preciso de uma mão passando entre meus fios de cabelo. Que perceba que às vezes tudo o que eu preciso é do silêncio do mundo e do barulho da sua, da nossa respiração. Que veja que eu sempre me esforço, e de vez em sempre, de um jeito nem sempre certo.
(Clarissa Corrêa)

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall