segunda-feira, 10 de março de 2014

Você é o meu porto seguro. Porque eu sei que vai estar aqui por mim. Sempre me espera. Sempre me acalma. Não leva tudo o que eu digo a sério e me perdoa se eu erro. Você está aqui, até quando eu não mereço ou não espero. O meu dia só existe porque você existe dentro dele… amo você.
Amo de todas as maneiras possíveis.

Se eu chorar, não me faça muitas perguntas, não precisa nem secar minhas lágrimas. Só me diz que você continuará comigo pra tudo, que tenho teu colo e teu carinho. E ainda que te doa me ver assim, me envolva nos teus braços e diga que eu posso chorar, mas que você não sairá dali enquanto eu não sorrir. Porque é isso que nos importa, não é? O sorriso um do outro.


É engraçado o modo como tratamos uns aos outros, como máquinas. Ah, você tem que ser forte o tempo todo. Ah, você não pode errar. Até porque máquinas são programadas, e se alguma não funciona corretamente mandamos pro lixo. Você tem que saber exatamente o que fazer e como fazer. Tem que escolher o que é certo, sempre! Mas se erramos não podemos nos desculpar. Palavras não bastam. Nossos atos são interditados. Tentamos conversar. Tentamos fechar a boca e abrir o coração, mas é impossível. As pessoas não querem ouvir ou ver quando o ego está ferido. Do que adianta tentar se vão nos parar no meio do caminho nos chamando de “monstros” e apontando nossos erros? Às vezes eu me pergunto até onde devemos nos sujeitar por alguém.


© adorável psicose
Maira Gall