quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Ama-me. Ainda é tempo. Interroga-me.
E eu te direi que nosso tempo é agora.
Porque é mais vasto o sonho que elabora

Há tanto tempo sua própria tessitura.

Ama-me. Embora eu te pareça
Demasiado intensa. E de aspereza.
É transitória se tu me repensas.
Esplêndida de avidez, vasta ternura

Hilda Hilst

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall