quarta-feira, 29 de abril de 2015

"Lembra quando eu estava chorando, querendo desistir de tudo e simplesmente morrer? Foi por você que fiquei bem. Você me abraçou forte, e mesmo que eu tentasse sair, você não deixava. Eu disse que molharia sua blusa de frio toda, chorando que nem idiota, mas você não se importou, “depois seca”, você disse. E em momento algum, você deixou de acreditar em mim, “você consegue, eu sei”, e eu conseguia. Não por mim, mas por você. E quando eu tentei te falar que eu só consegui por você, você me abraçou forte de novo, como daquela vez e disse “você consegui por nós”. Nós, você acreditou em nós, onde de início não existia nem eu. E há quem fale “desista dele, ele está perdido”. Sim, está. Mas eu também estava quando você me abraçou. Então eu não vou soltar, não adianta pedir, porque eu não vou te soltar desse abraço até que você fique bem, fique forte, porque você é forte e consegue. E agora, eu também acredito em nós."
— A culpa é mesmo das estrelas?

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall