quinta-feira, 23 de julho de 2015

Todos os dias pessoas queridas pra muita gente morrem, pais perdem filhos, filhos perdem pais, amigos nos abandonam, gente que a gente ama nos decepciona profundamente… e a vida sempre segue. Eu sei que a dor não é opcional, e ninguém é de ferro. Eu sei como é perder um grande amor, eu sei qual é a sensação. Só que, poxa, você chorar o dia todo, não querer mais fazer nada, ficar o tempo todo dormindo, isso não vai trazer seu amor de volta, e também não vai te trazer nada de bom. Você pode canalizar esse sentimento pra outras coisas. Use essa experiência pra se conhecer melhor, pra visitar o que há de mais profundo em você, pra aprender e amadurecer. Todo mundo sofre, todo mundo chora, mas se entregar é uma opção sua. Não desprezo a relevância da sua dor, mas não a coloque no centro da sua vida. Sempre há pelo que sorrir, pelo que viver. Você deve ser muito jovem e ainda deve ter muita coisa bonita pra viver. Se abra a novas histórias, sorria pras mudanças, porque nada é permanente. E não, você não tem que se forçar a esquecer, a não lembrar. É uma parte da sua vida, foi uma parte importante da sua vida, não é? Tudo se ajeita naturalmente… só não deixe de viver, porque você muitas vezes não pode controlar o que acontece, mas pode controlar como você reage diante das coisas. Eu não tenho como falar muito sobre sua história com essa pessoa porque você não me deu nenhum detalhe. Mas desejo a você serenidade pra lidar com isso, sempre. A vida é maravilhosa por si só, não deixe de aproveitá-la.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall