segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Que eu não perca a vontade de ajudar quem precisa, mesmo sabendo que muitos não fariam o mesmo por mim, que eu não perca a minha essência, mesmo que a vida queira me virar do avesso, que eu não tema os desafios da vida, mesmo sabendo que existem aqueles que querem meu fracasso, que minha felicidade não dependa de ninguém , mesmo sabendo que muitos se enganam com isso, que meu coração esteja sempre cheio de amor, mesmo sabendo que em muitos existe o ódio. E que eu não perca a esperança.

Marcela Polis


Adele- Hello


Não solta da minha mão ;


Eu te quero perto

Mas também te quero longe...

Sou tua, mas os dias estão me afastando de ti

Olha pra mim, você consegue sentir meu coração?

Ele tem medo de te perder, mas ele esta sofrendo tanto

Ei, olha pra mim, já não sei mais se quero ficar

Mas em todos os lugares que vou, só vejo você

O que faço agora?

Não me sinto mais livre, mas e se eu me libertar você estará aqui?

Olha pra mim e tente entender, estou fugindo mas ainda quero ficar

Tenho lembranças tão lindas, mas não são o suficiente

Eu não consigo ir adiante, você me entende?

Eu quero te sentir mas não consigo, o que fez comigo?

Meu amor é teu, mas os dias estão me afastando de ti. 

Olha pra mim, não me deixe ir.


Marcela Polis


domingo, 25 de outubro de 2015

Instagram, Segue Lá :)

@marcelapolis 


O mundo muda quando dois se olham e se reconhecem. Amar, é despir-se de nomes.
Octavio Paz


Mais uma vida inteira ;

Esses olhos,
essa boca,
esse corpo
e esses beijos
são, pra mim,
como aquele sono gostoso
que a gente sente de manhã:
me dá sempre vontade
de ficar mais cinco minutos.
Cinco minutos,
meia hora,
duas horas,
três dias.

Você é, todos os dias,
um motivo pra ficar um pouco mais.
E é meu motivo pra voltar todas as vezes.


Há horas em que o extremo peso 
Do silêncio
Desmancha as fibras 
Da língua.

posso te olhar por mais cinco minutos;

e continuar te olhando por um dia inteiro…
mas eu não entendo essas pessoas que costumam atiçar olhares
e depois sumir, eu não entendo.


eu quero te ter sem medo
tomar impulso para o salto
sentir as nuvens no peito
alcançar o outro lado
eu quero te mostrar a vida
toda coragem escondida
na multidão das avenidas
no topo dos arranha-céus
eu quero escapar do óbvio
te mostrar em carne viva
tudo que tenho pra te dar

Elisa



Quando se acumula lágrimas qualquer tombo faz tudo desabar.
Felipe Bueno


No silêncio do meu peito sopra um vento.
Elisa Bartlett

Penso em ficar só, mas minha natureza pede diálogo e afeto.
Lya Luft

Como lidar com o estresse?



Tem vezes que não dá para segurar. O nervosismo chega e nós o liberamos da pior forma possível, tendo um comportamento arredio e sem paciência com quem está por perto. Depois justificamos: é a correria, o trabalho, a escola, a tpm… Será que não há outra saída para liberar tanto estresse sem envolver as outras pessoas? Cortar o mal pela raiz, encontrar uma válvula de escape para voltar a ser alguém paciente e tranquilo? Não custa tentar. Pensamos em conselhos que daríamos de amiga pra amiga para ver se conseguimos te ajudar. Olha só:


Cultive bons hábitos

 você já sabe, mas vale falar de novo: praticar atividades físicas ou esportes e resistir àquela grande oferta de docinhos e industrializados (que, infelizmente, sempre vem a calhar quando estamos nervosos) pode ser um diferencial não só para a sua saúde, mas também para ajudar em momentos de nervosismo extremo. Está com a cabeça quente? Corra, dance e libere a energia de alguma forma que seja benéfica não só para a sua mente, mas também para seu corpo. No YouTube, existem vários vídeos com exercícios de ioga que nos obrigam a relaxar os músculos e diminuem a respiração acelerada.


Identifique as fontes de nervosismo

Qual é o verdadeiro motivo que te levou a este estado? Analise de uma forma bem abrangente todos os pequenos acontecimentos do seu dia. Às vezes, alguma coisa pequena pode ter sido a gota d’água, mas esta mesma coisinha é o resultado de vários fatos mal resolvidos anteriores. Entenda se o nervosismo é uma condição temporária ou se está por aí há algum tempo.


Não tenha pressa

A impaciência não adianta nada e acaba resultando em atritos de convivência. Quando você apressa alguém por causa de seu próprio nervosismo (que, agora, você já soube identificar) ou impaciência, nascem os conflitos, as discussões e as brigas. Respire. Beba uma xícara de chá, fique uns minutos respirando ar puro e repita mentalmente: cada um tem o seu ritmo. Não está dando certo? Peça para uma terceira pessoa ajudar a mediar a situação. Assim, você não cria um desgaste desnecessário.


Não culpe os outros

Não adianta nada explodir com quem está ao seu redor. Tente (de verdade!) se controlar quando estiver junto da família, dos amigos, do namorado ou de quem quer que seja: ninguém tem culpa se o seu estado de espírito está um pouco alterado. Se precisar, afaste-se por alguns instantes e fique sozinha até a tensão ir embora.


Aceite o que você não pode mudar (ainda)

Sempre dizemos que somos capazes de chegar ao infinito se quisermos muito e trabalharmos para isso. Mas algumas pessoas e situações são bem difíceis e lutar contra elas com impaciência e impulsividade acaba sendo um fardo para você, mesmo que só mentalmente. Para começar, não fique se culpando pelo que já passou e pare de imaginar como seriam as coisas caso tivessem acontecido de uma forma diferente. Lembre-se: na maioria das vezes, não podemos escolher as situações pelas quais temos que passar, mas podemos (e devemos) escolher como vamos lidar com elas.

É importante cultivar seus relacionamentos e, mais do que isso, cuidar de si mesma e sentir-se feliz, plena e tranquila. Você gostaria de compartilhar alguma outra dica?

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

 A VIDA NÃO É A BUSCA DO EU. A VIDA É A CRIAÇÃO DO EU”.

Se alguém sabe como agradar a todos, me ensina?

Não gosto quando alguém não gosta de mim. Não gosto quando falam mal de mim. Não gosto quando sou criticada. Mas eu tenho que lidar com isso, hoje procuro estar com minha consciência tranquila. E entendo perfeitamente que é impossível agradar a todos.



Se sentissem eles não falariam ;

Falam de tudo. Da moral, do comportamento, dos sentimentos, das reações, dos medos, das imperfeições, dos erros, das criancices, ranzinzisses, chatices, mesmices, grandezas, feitos, espantos. Sobretudo falam do comportamento e falam porque supõem saber. Mas não sabem, porque jamais foram capazes de sentir como o outro sente. Se sentissem, não falariam.

Nelson Rodrigues

Mude hoje e sempre;

Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez. Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa. O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda.

Clarice Lispector

Um novo caminho ;

Porque a gente tem que acreditar. Tem que saber enxergar as coisas na vida. Sempre tem uma saída. Sempre. Sempre existe um novo olhar, um novo caminho, uma nova maneira.


Clarissa Corrêa

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Minha experiência em Maceió;



Vai sair de férias e quer um destino para descansar? Para aproveitar? Para curtir? E para 
apreciar? Bom, aqui estou eu pra deixar um pouco da minha experiência de Maceió para vocês, para que já reserve seu lugar e vá conhecer um pouco mais do nosso nordeste brasileiro. 


Viajei para maceió no período de 15 a 21 de novembro em 2014
Fechei meu Pacote com a TAM, o hotel que nos hospedamos era o Ritz Suites localizado na Praia Lagoa da Anta, fomos muito bem atendidos, um hotel muito agradável, com bom conforto e um café da manhã impecável



 




Não conseguimos aproveitar a praia que ficava de frente para o Hotel pois era muito agitada e ventava bastante, porem fizemos passeios maravilhosos e não deixamos de aproveita-los. 



Nosso primeiro passeio foi a Praia do francês, que fica 21 km, com águas que variam do verde claro ao azul intenso. É a mais conhecida, e também a mais lotada. No lado esquerdo ficam as barreiras de recifes, já no lado direito as ondas são fortes e boas para o surf. Foi a praia mais cheia que visitamos e com muitos ambulantes.

(Francês)


Fomos conhecer a Praia do Gunga, que foi uma das nossas melhores experiências... Tem uma paisagem perfeita e uma extensa parte de areia e sequência de coqueiros. É maravilhosa a paisagem! Se tem algo que você não pode deixar de fazer antes de sair do Gunga é o Passeio de quadriciclo nas falésias, terá a opção do buggy também, porem não compensa e você se diverte e aproveita muito mais com o quadriciclo. Foi uma experiência ótima, e as falésias são deslumbrantes. 



(Falésias, foto tirada por mim)



Em seguida conhecemos a praia de ipioca, e foi uma de nossas preferidas. Ir ao Hibiscus, bar de praia que funciona no condomínio Angra de Ipioca, ideal para beber algo refrescante e desfrutar da linda praia, considerada um dos refúgios da cidade, é uma das melhores opções para os que buscam um lugar calmo para descansar. além de pufes, tendas e gramadão que ficam disponíveis pra você aproveitar.




Por fim conhecemos Maragogi, O lugar é lindo, o mergulho é imperdível, mas chegar lá é uma verdadeira aventura! 
As agências de receptivo em Maceió vendem apenas o traslado; o passeio é pago no local. Durante o trajeto entre a praia e o local de mergulho, vários extras são oferecidos: snorkel para alugar (indispensável para ver os peixinhos; alugue), fotografia sub-aquática (uma dúzia de fotos suas debaixo d'água, editadas num DVD com fotos e vídeos dos corais) e até flutuação guiada com cilindro.
Permanência nas piscinas: os catamarãs levam entre 20 e 30 minutos para chegar às piscinas naturais. A permanência na área dos corais é de 1h30. Você volta obrigatoriamente no mesmo barco que te levou.
Aproveitamento da maré baixa: quem tem a certeza do melhor aproveitamento é quem já está em Maragogi e sai nos catamarãs dos resort ou em lanchas. Esses podem sair sempre no horário mais proveitoso para pegar a maré baixa -- que varia 45 minutos a cada dia, e ocorre pela manhã durante as luas cheia e nova (as mais propícias para o passeio, já que proporcionam as marés mais rasas). 






(Maragoggi, foto tirada por mim)








Tudo valeu a pena, o lugar é lindo, sem contar os restaurantes, as comidas, tudo maravilhoso. 

Uma dica que podemos dar é a seguinte, o lugar é lindo, porém em questão de alimentação tudo é muito caro, então vá preparado!!!
Caso você queria economizar um pouquinho, procure o mercado mais próximo, isso ajuda bastante.

Agendamos todos os nossos passeios, ligávamos e eles sempre foram pontuais, os motoristas sempre muito educados e atenciosos ao trânsito.

Espero ter ajudado, beijinhos




quarta-feira, 14 de outubro de 2015

As amigas, aquelas, as ex ;

Elas vem de um passado remoto, de uma longa distância de palavras, da saudade de uma roupa trocada ou das novidades que a gente nunca conta porque contato depois que é perdido não se recupera de uma hora pra outra. De uma foto antiga, do nada, do limbo onde boas amizades se perdem por causa de namorados, mal entendidos, viagens mal aproveitadas ou falta de afinidades que foram apagando a importância ao longo dos anos. Chegam num perfume que o olfato logo decifra, brotam num domingo correndo pelo parte, assombram segredos que nunca ousamos confiar a ninguém mais que mesmo velhos seriam capazes de corar o rosto e nos deixar com a faixa de ridícula do milênio se à tona. 

Elas vivem na rua de cima, no mesmo bairro, naquela escola do primeiro grau, numa casa noturna onde muito já se badalou, perdidas por aí sem saber do nosso animalzinho de estimação novo ou da reforma lá de casa. Longe, porque no rompimento, sempre silencioso, as entrelinhas prenunciavam uma distância sempre maior que o aceitável. Sobreviventes a cada conversa com pais e mães que encontramos no supermercado da esquina, remanescentes das maluquices compreendidas apenas entre dois olhares cúmplices que se perdem sempre pelos saguões da vida.

Elas se alimentam de fofocas infundáveis, de catações crônicas a respeito da outra, daquilo que imaginam estar acontecendo e talvez não seja nada perto da realidade: a intuição, o banco de memórias, a essência já tão manjada dizem algo sobre aquela frase, os novos amigos em comum, as gentes com quem ela anda agora. O namorado novo é feio, o outro era gato mas filho da puta, eles nem devem transar, nossa, mas ela emagreceu, ano passado tava uma bola, se eu ver por aí acho que ignoro. Se entopem de suposições pra vomitar, envenenadas, embriagas de ressentimento e carentes de uma atenção sem volta pelos cantos de botecos e corredores de faculdade, bem dentro do ouvido alheio. 

Elas fazem tai chi ou começaram a aprender piano, elas já nos viram sem roupa e com sonhos despedaçados, elas se ressentem a cada passo gigante que a gente consegue dar por não poder participar da comemoração. E doem porque todos ensinaram, o mundo nos prometeu: amores se vão, mas as amigas, elas ficam - só que boa parte delas passa a residir na vida da gente apenas na lembranças, nos VHS, até onde as festas infantis e as reuniões dançantes suportam.

Elas adormeceram num tempo conjugado no passado, elas são vítimas de resgates nunca bem sucedidos, elas reproduzem uma playlist antiga cheia sucessos dos anos 90 e 00', elas se mudaram pra um planeta onde a gente não cabe mais e hoje respiram sob destroços e lama, rinite alérgica e roupas cafonas. 

Chegando mais perto dos seus sonhos;

Você sempre teve um grande sonho mas não consegue se comprometer com você mesma, fica a espreita de uma grande chance e a opinião dos outros acaba te deixando com receio? Ok. Podemos adivinhar o final dessa história? A mocinha acaba guardando tudo à sete chaves e se contenta em pensar que não é merecedora o suficiente. Não! Esse não é o filme da sua vida e você tem, sim, o suficiente para reverter a situação. Se identificou? Então esse post é pra você. Fizemos uma lista de atitudes que você pode começar a ter hoje mesmo para mudar essa situação a seu favor.

Não espere alguém fazer primeiro
É aquela velha história: Se ninguém dá o primeiro passo, eu é que não vou dar, né? Não! Você pode dar o primeiro passo sim e aliás, deve. Ter iniciativa é juntar toda a sua auto confiança e encarar o problema para si mesmo. Seja realista e pense nos recursos que você tem para encarar o que precisa ser feito. Sabe quando o personagem do jogo de videogame sai para a aventura e você monta tudo que ele irá levar na mochila? É parecido, mas nesse caso tudo que você precisa está dentro de você e basta reconhecer que suas necessidades reais já estão disponíveis. Você já sabe das suas responsabilidades, certo? Não tem como fugir delas e não adianta esperar alguém sentar e mostrar como é que se faz. Precisamos fazer o que tem que ser feito e se negar a isso ou esperar por um exemplo ou ajuda não irá nos levar a nada. Iremos correr riscos? É claro, mas absolutamente tudo na vida tem chances de dar certo e chances de dar errado. Erga as mangas e comece agora mesmo!

Não coloque a culpa nos outros
A gente tá muito acostumada a passar a responsabilidade das coisas para os lados, né? É culpa do governo, culpa da sociedade, culpa do professor, culpa da família… Pare já com isso. Se você tem a vontade de começar uma academia e não tem dinheiro, sabe que tem aplicativos que te ajudam a malhar em casa, né? Se você precisa estudar e acha que determinada matéria não entra de jeito nenhum na sua cabeça, no fundo você também tem consciência de que a solução existe e pode estar em assistir vídeos com explicações mais simples ou aumentar o seu tempo de estudo. Ou seja, se algo que você quer muito está difícil de ser conseguido, nem pense em culpar fatores externos. Eles existem e são obstáculos, mas cabe a você passar por cima das adversidades e encontrar um novo jeito.

Pare de exagerar
A gente tem uma mania de hiperbolizar a vida, né? Tentei quinhentas vezes e não deu certo… Foram quinhentas mesmo? Você sabe que não. Na nossa cabeça as coisas tomam uma proporção gigantesca e uma formiguinha pode mesmo virar um elefante. Você chega numa nova escola e pensa que todos olharam feio pra você. E se no fundo eles estavam só morrendo de sono? E mesmo se olharam, se curvar e fechar para o mundo não vai reverter a opinião de ninguém. Você é maior do que isso e pode provar para todo mundo que é uma pessoa confiante e não liga para opiniões alheias. Isso quebra qualquer olhar torto, sabia? E o melhor é que você vai passar a ser uma pessoa tão segura de si que não irá exagerar em mais nada. Afinal, isso não irá te preocupar mais!

Pare de se boicotar
Você é a protagonista da sua história e mais ninguém. Respeite seus próprios valores, assuma seu lugar em meio aos outros. Pare de se cobrar ao se comparar com o mundo, você é uma pessoa única e mais ninguém é igual a você. Não adianta acompanhar e torcer pelas outras pessoas e esquecer de você mesma, deixando de lado seus próprios sonhos e metas. Insista e persista no caminho que você sempre sonhou e deixe de lado os pensamentos negativos.

Tente ver o lado bom
Sabemos que as vezes a situação pode ser ruim de verdade e você pode estar com problemas reais, não tão somente ciladas da nossa própria mente. Em situações extremas, acontece, e pode ser um pouco mais difícil de lidar do que simplesmente tentar dar o primeiro passo para a saída. Mas quais as chances disso ser solucionado de uma boa forma se você focar no pior lado? Você só irá perder seu tempo e ficar ainda mais ansiosa e preocupada. Não adianta. Respire, inspire e procure nos detalhes simples a parte bonita que existe em cada coisa. Pode ser complicado, mas lembre-se: Quando você passa por algo que foi difícil com sucesso, a sensação não é incrível?

O que você precisa fazer para alcançar seu objetivo? Se conheça, busque motivação (que não sejam estímulos externos, certo?) no que pode alavancar suas decisões, lide com pessoas diferentes da melhor maneira que encontrar e gerencie as inúmeras coisas que passam pela sua cabeça e acabam trancando você para fora do mundo real. Estaremos torcendo por você!

Tipos de babaca PT.3

Mais três tipos de babaca pra gente sair correndo assim que identificar:

#007 O babaca escondidinho
Ai quem dera esse tipo de babaca fosse tão gostoso quanto a refeição de mesmo nome! Pelo contrário: chega a ser brochante o tanto que essezinho faz pra esconder do universo que tem um rolê com você. Ir num barzinho? Só se for bem longe dos de sempre. Motel? Do outro lado da cidade. Conhecer os amigos? Vai vendo, querida. Nem se iluda. Às vezes essa espécime possui namorada - e a oculta tão bem das redes sociais todas que caso você não tenha amigos em comum com o rapaz, nem desconfia -, às vezes é apenas insegurança de admitir que existe uma química cósmica e bacana entre vocês e ele não quer se prender. Mestre em esconde-esconde, uma hora vai cansar você dessa brincadeira sem nexo (nem futuro).

#008 O babaca Narcisus-me-amo
Vocês estarão passando em frente a um espelho - ele vai parar e arrumar o cabelo, olhar se o físico está em ordem e o look realmente orna sob essa luz. Vocês estarão conversando sobre experiências passadas e mercado de trabalho - ele facilmente tornará todos os assuntos sobre ele, até mesmo quando você cogitar mudar o tema para futebol, será sobre como o time dele anda mal das pernas, mas com certeza se reerguerá. Chega a ser bonito tanto amor próprio e esperança em si mesmo nos primeiros encontros, mas logo um nojo decadente domina, afinal, ele sabe mesmo quem é você? Raramente ele está interessado em descobrir; é tempo demais ocupado na academia, na no emprego, na pós, estudando sozinho ou tocando violão pra plateia nenhuma. Ele se basta, mas bem pior que isso: ele próprio se aplaude. Nesse rolê, você não passa de mera figurante.

#009 O babaca não-sei-você-que-sabe
Vamos onde? Não sei, você que sabe. Que tal aquele boliche na rua tal? Pode ser, você que manda. Talvez seja melhor a gente beber pouco hoje, né? É, se você disse. Beleza. O que você achou daqui? Se você gostou... Legal. Vamos indo daqui a pouco? Vamos, você que dá as ordens. Dá pra guentar babaca sem a mínima opinião ou atitude? Difícil demais de mastigar, eu não engulo, não. É ótimo ter as rédeas em mãos vez que outra, mas quando se torna parte da rotina, cansa. 

Aplicativos para você se organizar;



Você esquece da hora de tomar remédio, precisa anotar algum recado mas acaba escrevendo em bloquinhos que depois nunca mais encontra, marca suas tarefas do dia seguinte em agendas diferentes e por conta disso acaba se enrolando toda? Então esse post é pra você. Olha só a nossa listinha!


MORPHOLIO JOURNAL

Se você prefere escrever as coisas usando sua própria caligrafia (seja no touch do celular ou até mesmo usando uma canetinha magnética) para agilizar as coisas, o aplicativo Journal é o certo pra você. A gente sabe que as vezes na pressa digitar pode ser algo super demorado, né? O Journal permite que você escolha entre diferentes pinceis e cores para anotar tudo que precisa e o melhor de tudo é que isso fica salvo em livros com diferentes páginas. Ou seja, você não perde nadinha!iOS



MEDISAFE


Você tem que tomar remédios diários mas acaba se esquecendo disso? Então o Medisafe vai te ajudar a lembrar com lembretes e alarmes, além de um controle muito bacana. Até se você acabar se esquecendo mesmo assim, o app continua sendo importante para marcar qual foi o dia perdido. Bom, né? A interface dele é super bonita e fácil de usar e outra coisa bacana é que ele permite que você acompanhe a medicação de familiares e acompanhe se a pessoa já tomou o remédio indicado durante o dia. Se não aparecer nenhum alerta, é só você lembrá-la! iOS / Google Play


TRELLO 

O Trello é um aplicativo de organização muito bacana e flexível. A proposta deles é realmente diferente porque separa tudo em quadros. O que nós achamos mais interessante é que se você tira uma foto para algum quadro, ela fica sendo a miniatura dele e assim você pode encontrar o que procura de um jeito muito mais fácil e visual. Vale lembrar que tudo que você fizer nele será sincronizado e salvo imediatamente na nuvem para que todos seus dispositivos estejam sempre atualizados! iOS / Google Play / Windows

O filme que vai mudar a sua vida;

Você já ouviu falar da história O Pequeno Príncipe? O livro de Antoine de Saint-Exupéry cativou adultos e crianças e continua no lugar de destaque de muitas prateleiras por ai. Calma! Até quem não leu também tem tudo para curtir muito a animação e eu vou explicar porque vale muito a pena garantir o seu ingresso.
A história agora é sobre uma menina que está sendo preparada pela mãe para o mundo adulto, até que em um dia ela conhece seu vizinho aviador e tudo muda completamente. Não é a mesma história do livro? Ai que você se engana. O aviador é o mesmo que passou bons momentos com o Pequeno Príncipe e embarca agora com sua nova amiga a uma jornada mágica e emocionante.
Como se fossem dois enredos em um só, eles se unem de forma perfeita mostrando a história do aviador com o Príncipe e também dele atualmente com a menina. O resultado disso é uma busca para reencontrar aquele simples olhar de criança, que acabamos perdendo soterrados a tantas regras e responsabilidades do cotidiano. Olha só o trailer!

Por isso que é bem mais do que uma simples animação. O filme é uma aventura fascinante, tão bem trabalhada que vai te deixar maravilhada do início ao fim e a sala de cinema vai ficar pequena para tantos pensamentos que irão surgir. Ele vem com várias mensagens importantes que nos fazem refletir a cerca de muita coisa do nosso dia-a-dia e nos ensina tantas lições preciosas que se torna o tipo de obra que vem para acrescentar, transformar aos pouquinhos a gente por dentro.
Não tem como não se identificar. Sabemos que viver não é tão fácil assim. Desempenhamos inúmeros papeis, corremos atrás de nossos objetivos e estamos sempre a procura da felicidade apontando uma espécie de lupa por todos os cantos. Pode falar, eu sei que você já se sentiu assim! Mas acontece que as vezes o essencial pode ser mesmo invisível aos olhos e retomar aquela nossa sensibilidade infantil para o mundo pode uma tarefa um tanto quanto difícil…

Tipos de babaca PT.2

#004 O sniper babaca
Esse babaca dá nos nervos, mas algo na nossa genética falha e, quando damos por si, estamos presas na rede feito peixe distraído em maré baixa. Ele precisa provar, 220% do tempo, que é macho, adora mulher, ama sexo, transpira masculinidade e é capaz de conquistar qualquer donzela indefesa do rolê. Você promete pra si que não vai pegar, que vai ser firme e forte, que esse boy só vai trazer problemas. Porém, esperto que é, vai tateando pelas beiradas e dá o golpe final quando menos esperamos - cheio de romance, frases feitas e aquele toque de ilusão que poucas resistem (infelizmente). Você, pra variar, dá aquela chance amiga. Ele passa a falar de mulher na sua frente (e AI se reclamar, sua ciumenta), chamar suas amigas de gostosa enquanto você está perto e, descaradamente, atirar pra todos os lados, afinal, ele prometeu algo pra você? Não, né? Então corra pras colinas antes que seja tarde, miga!

#005 O babaca fantasminha
Vocês se conhecem. Se encantam. Saem, gostam dos mesmos drinks, ele também sonha em morar na praia. É fora do normal a conexão que você sente, como se estivesse em casa ao lado dele e pudesse aparecer de pijama de ursinhos, que nem isso mudaria qualquer coisa. Saem de novo. Se adoram. Ele pega a sua mão em público e é gentil. Até que, puft: começam as ignoradas nas mensagens instantâneas. Demora para responder. Este final de semana vai estar ocupado, sabe como é, tem um casamento no interior. Ok. As puxadas de conversa por parte dele, antes cotidianas, exaporam. Você se pergunta o que fez de errado: foi por que transei, ou por que não? Será que disse algo fora de contexto? Os amigos pareciam ter me adorado. Estranho. Ele realmente sumiu. O tempo passa. Novas noitadas, outras baladas, mil e um jobs. Outros boys, também. Ele reaparece, como se qualquer intimidade nunca tivesse sido cortada assim, sem explicação, repentinamente. Você quase toma um susto ao ver notícias dele nas notificações. Eis o babaca fantasminha. Você sai com ele, de novo. Tudo maravilhoso, pra variar. No outro dia, conversa sem graça. Na semana seguinte, silêncio. Qualquer hora - ou mês, ou ano - ele reaparece; a capa branca cobrindo qualquer sentimentalidade, a cara de pau charmosa de sempre, a babaquice plena.

#006 O babaca quero-não-quero
Esse tipo de babaca é um clássico e tem aos montes por aí - pessoas, por quê tão perdidas? Ele quer ficar com você. Fica. Tudo é bacana. Vocês se veem com alguma regularidade, a química é legal, ele se veste decentemente e põe bons sons no carro. Beleza. Tudo caminha em vias de algo mais sério. Primeiro, você conhece os amigos dele. Depois o cachorro. A faxineira. Os pais. Ok, vocês tem algo. O contato é direto e divertido. Até que o comportamento dele se torna estranho. Opa, o que houve, gato? A bomba: então, não sei se é isso que eu quero. Isso o que? Algo tão sério, namorar, magoar alguém. Logo aparecer as famigeradas desculpas: esse ano quero ficar solteiro, já me magoei demais com outras meninas, penso em mudar pro exterior em breve, estou trabalhando muito, etc. Você se afasta, afinal, melhor cortar logo (ainda que uma parte da gente morra junto com esse "e se"). Passa um tempinho, ele liga. Precisa ver você. Não guenta de saudade. Vocês se encontram. Parece que dessa vez a coisa anda! Tudo em paz, tudo ótimo, noite juntos. Na semana seguinte, estranheza novamente. Estou confuso. Preciso de um tempo. Gosto de você, mas queria algo mais leve. Eis o ciclo vicioso de algo que começa meio capenga e assim permanecerá, miga. Corre.

Conhecendo novas pessoas: o que conversar?

Você é uma pessoa tímida? Se respondeu afirmativamente, sabe que as vezes pode ser uma dificuldade tremenda fazer novos amigos. Ainda mais quando você vai em algum lugar que sabe que só vai ter pessoas desconhecidas, a tensão começa a aparecer e você se pega imaginando meu pai do céu o que é que eu vou falar?! Os assuntos até começam a pipocar na sua mente mas a incerteza da pessoa ir na sua onda paira como uma nuvem negra no céu. Pensando nisso, listamos cinco coisas que você pode fazer para quebrar o gelo ao conhecer alguém novo!
Livre-se de preconceitos
Você não é uma pessoa preconceituosa, certo? Pois então não seja em todos os sentidos. As vezes ficamos presos à estereótipos e saímos colocando as pessoas em embalagens como se fossem produtos. Elas não são, então tome muito cuidado para não julgar ninguém pela roupa que está vestindo, sua cor de cabelo ou os acessórios que ela está usando. Esteja pronta para iniciar a conversa sabendo que a pessoa em sua frente é uma caixinha de surpresas e também dispa-se de preconceitos com relação a você mesma. Será que eles vão me achar isso ou aquilo? Mentalize que ninguém irá achar nada até conhecê-la realmente!
Busque pontos em comum
Pergunte sobre coisas simples para saber um pouquinho da personalidade dela, tomando cuidado para não parecer um interrogatório policial. Não é preciso encher a pessoas de questões, fazendo-as brotar do nada no assunto. Você planta a semente procurando semelhanças entre a sua pergunta e algo que está ao redor de vocês. Por exemplo: Está tocando uma música que você gosta, então você aproveita para dizer isso e já puxa a pergunta “qual é o seu estilo de música preferida?”. Não achou nada ao redor de vocês para poder fazer a ligação? Procure melhor! Sempre tem algum detalhe.
Não tente fingir ser o que não é
Se a pessoa está falando sobre os melhor churrasco que já comeu na vida e você é vegetariana, não precisa ficar sem graça de deixar de assentir positivamente querendo dizer que entende que a picanha do sul é mesmo muito boa. Mas lembre-se: Você não precisa se colocar acima de ninguém e muito menos fazer comparações dualistas entre o certo e o errado. Cada um tem um ponto de vista e você pode sim colocar o seu na conversa, mesmo ele sendo contrário ao da pessoa. Basta ser educada e entender que o azul é azul e o vermelho é vermelho. Não precisa mudar de lado e nem fazer a outra pessoa comprar o seu como se fosse uma verdade absoluta. Procure somente deixar a conversa ainda mais rica compreendendo o ponto de vista de ambos.
Fale sobre ideias
Uma vez eu vi uma frase que dizia que mentes pequenas falam sobre outras pessoas, mentes medianas falam sobre coisas e pessoas incríveis falam sobre ideias. A frase nunca mais saiu na minha cabeça! Um dos principais motivos? Confesso que já fiz parte do time de pessoas que falavam de outras pessoas. Não me leve a mal, não estamos falando de fofoca. Mas ao menor sinal de falta de assunto eu falava a respeito da bronca da minha mãe, da atriz da televisão, da cantora que fez turnê para tal lugar… Isso nem sempre é legal, né? É claro que todo mundo conversa a respeito dessas coisas, mas ao conhecer uma pessoa nova você pode substituir esses assuntos por ideias e assim ficar com uma imagem muito mais interessante para ela. Não é para sair falando a respeito do seu plano de vida todinho e suas metas e objetivos para chegar até lá, até porque essas coisas reservamos somente aos mais íntimos, né? Mas você pode falar, sim, sobre a reportagem do projeto de supermercado sustentável sem embalagens que você viu na revista, da página feminista que você pensou em criar no facebook, da receita que você pensou em fazer no final de semana ou da teoria super legal que você viu em um site.
Saiba ouvir atentamente
Muitas vezes nós falamos muito e esquecemos de escutar. Parar para ouvir atentamente é super importante no processo de comunicação, viu? Não é para ficar escutando e simplesmente repetindo coisas como Uhum. Tá. Éééé. O negócio é se mostrar interessada, com uma postura de quem mostra que está de verdade. Quando a pessoa fizer pausas, aí sim você dá a sua opinião e fala o que tem para dizer do assunto.
Quando já conhecemos alguém há algum tempo tudo flui mais fácil, né? Você já sabe das manias e o jeito de pensar da pessoa e ao menor dos olhares vocês já disseram tudo um para o outro. Com alguém novo o negócio é certamente mais difícil, mas seguindo essas dicas com certeza as coisas vão ficar muito mais tranquilas. Nada disso é regra, tá? Mas as dicas podem te ajudar a saber melhor o que fazer na situação. Gostou do post? Conta pra gente nos comentários!
Bruna Vieira 

Para você que não entende o amor;

Esse não é um texto sobre o que é o amor. É um texto sobre o que acontece depois que você finalmente entende pra que serve esse sentimento doido.

Antes eu achava que o amor era uma espécie de hematoma. Uma marca que alguém lá de fora deixava em mim. Uma dorzinha suportável que de tempos em tempos me fazia querer ter certeza se ainda doía. Aiiiii! Algo que muitas vezes eu escondi por insegurança. Por achar que já ou ainda não era hora certa de estar ali. Infelizmente ou felizmente eu me machuco fácil. Qualquer pancadinha já fica uma marca horrível por dias, semanas ou meses. Sempre disfarcei bem porque acreditava que o melhor curativo era uma boa dose de orgulho. Mas o orgulho nunca cura, anestesia.

Dizem que é só uma questão de tempo, mas não tem nada a ver com os números que o calendário ou o relógio mostram. Os dias vão sempre parecer iguais se você continuar não lidando com o que sente. Então não é sobre o tempo que passa. É sobre o que você faz depois que o dia amanhece. Sobre as pequenas escolhas que temos que fazer a todo instante.

Continuar lendo esse texto ou fechar a página?

Não é fácil. Eu mesma fugi do que sentia como se meus sentimentos fossem um monstro terrível e impiedoso, quando na verdade aquela estranheza gigante que tomava conta de mim fazia parte de um processo de autodescobrimento.

Quem sou eu? O que estou me tornando? O que quero pra minha vida? Por que teve um fim? A culpa foi minha? Não sou boa o suficiente? Quando não dá certo com alguém não é porque não deveria ter acontecido. É porque estamos mudando o tempo todo e nem sempre essa mudança acontece na mesma velocidade. Temos ritmos diferentes e às vezes nem mesmo o sentimento mais puro desse mundo basta. Mas nunca é desperdício se você aprende com os erros. Não foi em vão se você se sente mais forte, segura e consciente agora.

Parece que tudo gira em torno do outro, mas a verdade é que existe um mundo surpreendente no desconhecido e a única coisa que nos motiva a continuar tentando descobri-lo é o amor. Não o amor por ele, mas o amor por quem nos tornamos depois dele. Uma pessoa tão incrível quanto eu, ela e você merece ser feliz!

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Tipos de babaca PT. 1

#001 O babaca da baixa auto-estima
Vocês passam a conversar. Ele se encanta e passa a querer muito levar aquele papo animo para a mesa do bar. Você tem outras obrigações, vida cheia, nem sempre pode e, ainda assim, ele fica ali; ainda pensa que, qualquer dia, embrigada, desavisada, entediada, vai rolar uma chance. Ele estava certo: qualquer dia, você se pega topando. Saem. Tudo é legal, ele é uma pessoa normal e pareceu à vontade ao seu lado. Você ficou meramente encantada com o sorriso charmoso dele e o beijo foi ótimo. O babaca fica mais tranquilo - afinal, alcançou seu objetivo - enquanto você se pergunta o porquê do sumiço. Não é possível que, justo agora que você resolveu dar uma chance, ele desistiu. Sim, é bem provável. Falamos aqui do típico babaca que dá voltas e voltas em torno do próprio rabo: só é apaixonado por você até que você não seja por ele. A graça, o desafio e a excitação de se sentir rejeitado precisam existir aqui.

#002 O babaca que não assume a mina
Você o conhece na balada: soltinho, copo na mão, grupo de amigos cheio de risadas altas. Ele se aproxima com qualquer cantada medíocre. É bonito, charmoso, mas você nota o traço de babaquice de leve. Resolve levar o papo adiante, afinal, vai que no fundo ele é um cara bacana com máscara de idiota? Enfim: trocam contatos, se adicionam nas redes e se falam quase todo dia. Estranho, ele tem uma foto com uma menina, a legenda não diz algo exatamente amoroso, se tá no rolê e chegando em outra, deve ser amiga, né? Mais conversa. Convites. Quer ver você. Ainda essa semana. Sua amiga pergunta o nome dele e dá aquela stalkeada mais profunda: "Meu, cê notou que uma menina comenta todas as fotos dele? E que ele retribui? E eles tem várias fotos juntos, inclusive uma na cama, acordando, meio pelados?". É, ele tem alguém. Você pergunta, educadamente. Ele nega, é um casinho antigo apenas, poxa vida. Mais foto romântica. Mais amigos do suposto casal comentando. Você cai fora - não tem como. Deixa de responder as mensagens dele, enfurecido com um corte desses que está desacostumado a levar. Ele segue importunando. Sem assumir ela, implorando por uma reposta sua, ainda publicando imagens e expondo a garota. Nojo é pouco pra tanto desrespeito e falta de noção. 

#003 O babaca anulador de qualidades
Vê bem: ele quer ficar com você. Quer, sim. Chama pra date legal, conversa sobre amenidades, não desmarca no dia - atualmente, uma bela qualidade. Mas, ao recém chegar no lugar combinado, começa a sessão de descarrego: seu emprego? Abaixo do mercado. Sua faculdade? Hm, tem melhores. Você diz que anda vendo apartamentos no centro da cidade. Um lixo, ele acha. Isso sem falar no autocontrole, que você precisa exercitar, menina. E também no seu cabelo, que era melhor mais claro. No quanto você emagreceu e tá faltando carne. Mas ainda assim, ele quer você, viu? Fala essas coisas pro seu bem, pra que você "aceite" toda a maravilhosidade que o rapaz tem a oferecer. Bleargh.

23 coisas a que você não é NADA obrigada ;

Listinha que coisas que eu não sou obrigada - e nem a sua mãe, a sua melhor amiga, você, miga (pra eu lembrar e vocês não esquecerem. incluam as suas não-obrigações nos comentários!):

- Acordar às 9h em pleno sábado cinzento e chuvoso

- Responder mensagem de quem responder 12h depois

- Comer saudável no final de semana

- Se estressar com falsiane

- Resolver burocracias chatíssimas

- Gastar bons looks quando você vai só ao mercado da esquina

- Ir num aniversário de uma pessoa muito legal mas onde só vai ter gente chata (se a pessoa for sua amiga mesmo, ela entende)

- Poupar todos os dinheiros do mundo

- Cuidar da alta do dólar/euro

- Se segurar pra não ir atrás de boy

- Ler e-mails/mensagens sobre um reencontro da escola

- Discutir política com qualquer familiar sobre política

- Se adequar ao horário alheio (homens, amigas, parentes, etc.)

- Ver filmes sérios e cultos pra não perder a pose

- Pensar em estratégias de trabalho

- Manter o cabelo bem penteado

- Ir dormir antes das 2h

- Maneirar no vinho

- Não tirar o pijama durante o dia todo (ou, recolocar depois do banho, ou vestir outro)

- Se interessar minimamente sobre o show da Katiane Peri no Brasil

- Ouvir a palavra do Senhor

- Assistir filme bad vibe no Netflix

- Socializar com vizinhos que não cumprimentam

- Nadica de nada, baby.

E se baterem o pé volta aos cinco anos: me obrigada, quero ver!

Manual funcional para assustar os caras ;

1) Diga. Fale. Se expresse. Quer coisa mais assustadora que uma mulher que é capaz de reclamar quando injustiçada, retornar a culpa ao destinatário original, dizer - sem passivo-agressividade - quando está sentindo dor, medo, nojo, ódio, felicidade? Fale na lata e pelos cotovelos. Eles sairão correndo rapidinho.

2) Tenha opiniões. Folheie jornais, leia portais de notícias, esteja sempre bem informada para conseguir embasar seus pontos de vista. Os use a seu favor; seja numa postagem de Facebook, seja ao vivo numa roda de bar. Coloque a sua tese para jogo e mantenha-a firme, a não ser que o ponto alheio seja realmente relevante. Contudo, carregue por aí a sua cesta de opiniões, sim, e distribua-as para que outros possam ter a ótica do seu ponto de vista.

3) Vista-se como bem entender. Use roupas que, no imaginário alheio, são curtas demais, justas em excesso, transparentes ou com recortes. Prefira vestidinhos, saias e shorts - esqueça as calças jeans, as camisas largas, os camisetões se não for para mostrar um pouco das pernas. Aliás, deixar algumas partes expostas do corpo é ótimo para que eles se amedrontem, também.

4) Esteja quase sempre de bom humor. Faça com que seja difícil anular o seu melhor lado. Mostre o quão imbatível você pode ser quando firme na decisão de acordar alegre e manter o seu dia com status de ótimo. Se houver provocações e confrontos, ria. Ignore. Abstraia e inicie outro papo, sobre qualquer conversa vã.

5) Seja imprevisível. Cumprimente em momentos inapropriados, envie links pelo inbox quando der na telha, diga qualquer bobagem por áudio às 3 da manhã de uma quinta-feira. Alterne frieza com entusiasmo, chatice com paz de espírito, sorrisos desprevenidos com fadiga evitada.

6) Tenha uma profissão que ama e seja bem sucedida. Passe horas a mais na agência/escritório/hospital. Goste de fazer plantões, narre fatos do seu cotidiano profissional, mostre ambição em crescer na carreira. Arrepiou daqui!

7) Quando perdidos numa cidade nova/estrada desconhecida, não sinta vergonha de perguntar a quem estiver passando por diretrizes. Abra a janela do carro e chame um cidadão passante. Se mostre, inclusive, confortável em desempenhar tal função. Como você ousa estar tranquila, se mostrar vulnerável e ainda pedir dicas a estranhos? Medo.

8) Goste de sexo. Não sinta vergonha disso. Fale abertamente sobre. Se permita sentir prazer. É bizarro, mas, até hoje, para os rapazes é espantoso que uma mulher consiga ser dona do próprio corpo e faça uso das regras de si mesma. Uma pena.

9) Seja a rainha da atitude. Tenha sempre entre uma coragem e outra, conserve num papel toalha, fresquinha, ao ar livre. Chame o boy pra sair: é batata. Homem parece ver o Gasparzinho ao ouvir um convite para ir ao cinema, tomar uma cerveja, sexo casual. É batata.


Perfis inspiradores para seguir no Insta;

Perfis de pessoas que compartilham mensagens lindas e positivaspela internet. Muitos são artistas, ilustradores, poetas ou pessoas que apenas gostam de espalhar bonitezas por ai. Quer um feed cheio de inspirações com incentivos para você ir mais além independente de qualquer coisa, ou com frases que vão fazer você se identificar de primeira e correr mostrar para os amigos? Então esse post é pra você e temos certeza que a rede social vai ficar muito mais linda.








28. @sigaosbaloes / 29. @rotinaerabisco / 30. @marinaviabone

Pode falar a verdade, só de ver as miniaturas das mensagens já deu vontade de levantar dessa cadeira e ir seguir alguns desses conselhos, não é
© adorável psicose
Maira Gall