terça-feira, 24 de julho de 2012


Estar só é um estado existencial em que faço companhia a mim mesmo. Na solidão também me encontro sozinho, mas abandonado não apenas de companhia humana, mas também de minha própria companhia. É somente na aguda consciência de tal privação que os homens podem chegar a existir realmente no singular; assim como talvez seja somente nos sonhos ou na loucura que eles percebam completamente o “horror impronunciável” e insuportável desse estado.❞


-Hannah Arendt

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall