sexta-feira, 13 de julho de 2012


“Ninguém nunca me viu tão transparente como você, ninguém nunca soube do meu medo de amar demais, de se perder um pouco de tanto amar, de não ser boa o suficiente.”
— Tati Bernardi.   

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall