quinta-feira, 30 de maio de 2013

Quando eu confio, confio de corpo, alma, coração. Não faça com que eu perca essa pureza. Entende? Confiar é se entregar. Dar a palavra é assinar um contrato imaginário: minha alma não vai ferir a sua. Por favor, dê valor para as suas palavras.
— Clarissa Corrêa. 

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall