quinta-feira, 2 de maio de 2013


sobre aceitar
 Eu aceito só a metade, o pouco, o minúsculo, o menor. Eu aceito o pequeno, o frágil, o árduo, o difícil. Eu aceito a sua solidão de fim-de-semana, e seu desprezo mesmo que inconsciente. Eu aceito até seus carmas, seus dramas, suas moletas. Aliás, o meu amor aceita qualquer coisa mesmo.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall