domingo, 25 de outubro de 2015

Como lidar com o estresse?



Tem vezes que não dá para segurar. O nervosismo chega e nós o liberamos da pior forma possível, tendo um comportamento arredio e sem paciência com quem está por perto. Depois justificamos: é a correria, o trabalho, a escola, a tpm… Será que não há outra saída para liberar tanto estresse sem envolver as outras pessoas? Cortar o mal pela raiz, encontrar uma válvula de escape para voltar a ser alguém paciente e tranquilo? Não custa tentar. Pensamos em conselhos que daríamos de amiga pra amiga para ver se conseguimos te ajudar. Olha só:


Cultive bons hábitos

 você já sabe, mas vale falar de novo: praticar atividades físicas ou esportes e resistir àquela grande oferta de docinhos e industrializados (que, infelizmente, sempre vem a calhar quando estamos nervosos) pode ser um diferencial não só para a sua saúde, mas também para ajudar em momentos de nervosismo extremo. Está com a cabeça quente? Corra, dance e libere a energia de alguma forma que seja benéfica não só para a sua mente, mas também para seu corpo. No YouTube, existem vários vídeos com exercícios de ioga que nos obrigam a relaxar os músculos e diminuem a respiração acelerada.


Identifique as fontes de nervosismo

Qual é o verdadeiro motivo que te levou a este estado? Analise de uma forma bem abrangente todos os pequenos acontecimentos do seu dia. Às vezes, alguma coisa pequena pode ter sido a gota d’água, mas esta mesma coisinha é o resultado de vários fatos mal resolvidos anteriores. Entenda se o nervosismo é uma condição temporária ou se está por aí há algum tempo.


Não tenha pressa

A impaciência não adianta nada e acaba resultando em atritos de convivência. Quando você apressa alguém por causa de seu próprio nervosismo (que, agora, você já soube identificar) ou impaciência, nascem os conflitos, as discussões e as brigas. Respire. Beba uma xícara de chá, fique uns minutos respirando ar puro e repita mentalmente: cada um tem o seu ritmo. Não está dando certo? Peça para uma terceira pessoa ajudar a mediar a situação. Assim, você não cria um desgaste desnecessário.


Não culpe os outros

Não adianta nada explodir com quem está ao seu redor. Tente (de verdade!) se controlar quando estiver junto da família, dos amigos, do namorado ou de quem quer que seja: ninguém tem culpa se o seu estado de espírito está um pouco alterado. Se precisar, afaste-se por alguns instantes e fique sozinha até a tensão ir embora.


Aceite o que você não pode mudar (ainda)

Sempre dizemos que somos capazes de chegar ao infinito se quisermos muito e trabalharmos para isso. Mas algumas pessoas e situações são bem difíceis e lutar contra elas com impaciência e impulsividade acaba sendo um fardo para você, mesmo que só mentalmente. Para começar, não fique se culpando pelo que já passou e pare de imaginar como seriam as coisas caso tivessem acontecido de uma forma diferente. Lembre-se: na maioria das vezes, não podemos escolher as situações pelas quais temos que passar, mas podemos (e devemos) escolher como vamos lidar com elas.

É importante cultivar seus relacionamentos e, mais do que isso, cuidar de si mesma e sentir-se feliz, plena e tranquila. Você gostaria de compartilhar alguma outra dica?

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall