segunda-feira, 10 de março de 2014

É engraçado o modo como tratamos uns aos outros, como máquinas. Ah, você tem que ser forte o tempo todo. Ah, você não pode errar. Até porque máquinas são programadas, e se alguma não funciona corretamente mandamos pro lixo. Você tem que saber exatamente o que fazer e como fazer. Tem que escolher o que é certo, sempre! Mas se erramos não podemos nos desculpar. Palavras não bastam. Nossos atos são interditados. Tentamos conversar. Tentamos fechar a boca e abrir o coração, mas é impossível. As pessoas não querem ouvir ou ver quando o ego está ferido. Do que adianta tentar se vão nos parar no meio do caminho nos chamando de “monstros” e apontando nossos erros? Às vezes eu me pergunto até onde devemos nos sujeitar por alguém.

Nenhum comentário

Postar um comentário

© adorável psicose
Maira Gall